segunda-feira, julho 16, 2007

Nas curvas do planalto vejo sonhos



Foto: Na Câmara dos Deputados.

Desde pequenina visito Brasília com alguma frequência. Tenho lá primos e tios queridos que, apesar dos quase mil quilômetros que fisicamente nos separam, têm participado de pertinho de grande parte dos momentos relevantes de minha vida. Depois de alguns anos sem visitar a capital, aproveitando um pedacinho das férias fui até lá dividir com eles alguns centímetros de crescimento de barriga.

Há pouco mais de sete anos estive na cidade pela última vez e agora, um pouco mais madura, olhei para ela com olhos mais agudos. Observei que ali, entre a vastidão plana e o céu que parece poder ser tocado num esticar de braços e mãos, repousam sonhos. A começar pelo de Juscelino, concretizado pelas ondas de Oscar Niemeyer e pelos traços do urbanista Lucio Costa, este o gênio que concebeu o projeto do plano piloto ou da cidade em forma de avião, idealização por muitos creditada equivocadamente a Niemeyer. Vibram também os sonhos daqueles que, na década de 60, em busca de oportunidades ou somente seguindo seu espírito aventureiro ou empreendedor se atreveram a acreditar no potencial da cidade artificialmente plantada no meio do cerrado, que por sua aridez nesta época do ano em muito lembra um deserto.

Lamento que todos estes sonhos e vibrações tenham sido ofuscados e abafados ao longo dos anos pela imagem mais destacada da cidade: a de Ilha da Fantasia. Povoada por homens que deveriam nos governar, mas que insitem em pilotar nosso país na direção definida por alguns poucos sentados na primeira classe, ignorando o destino compactuado com os outros milhões que viajam na mesma nave.

Entre passeios gastronômicos (Brasília tem ótimos bares e restaurantes) e turísticos, fiz pela primeira vez uma visita guiada dentro do Congresso Nacional. No grupo de cerca de 15 pessoas, havia duas crianças. Os olhinhos curiosos vistoriavam tudo e era possível perceber que os pequenos cidadãozinhos iam se inflando de certos entusiasmo e orgulho ao passar pelos salões e corredores que levam aos plenários da câmara e do senado. Enquanto isso, três ou quatro dos adultos do grupo sussurravam um insulto aos políticos da casa a cada esclarecimento da guia, chegando a constranger a eloquente moça. Impossível não comparar as reações e lamentar que, ao longo da vida, a admiração e credulidade sejam apagadas e subsituídas por certa revolta, esta infelizmente bastante justificada. Reconfortante por outro lado compreender que os pequenos por ainda acreditar podem efetivamente contribuir para alguma mudança. No futuro, levarei meu pequenino ou minha pequenina até lá para que ele também se orgulhe e se admire com as curvas da cidade e como eu, deixe Brasília com a sensação de que por tão bela e por embalar tantos sonhos a capital merece que seus pilotos e "hóspedes" sejam muito bem escolhidos. Por nós!

9 comentários:

Anne M. Moor disse...

Que lindo Amanda! Brasília é uma cidade interessante e descobrimos isso qdo temos alguém que nos mostre e nos explique a história dela. Tenho uma irmã que mora lá e meu filho mais velho morou lá por muitos anos tbm. Uma filha que tbm esteve 2 anos lá... Gosto muito de lá...

Udi Tarora disse...

Se as cadeiras desse plenário fossem todas ocupadas como a da foto, tudo seria bem diferente.
Fé em que o teu pimpolho(a) desfrute de melhores momentos de Brasília.
Essa maternidade está te deixando mais poética e suave, delícia de texto!

disse...

Puxa vida, que diferença na qualidade de pessoas que costuma se sentar aí...
Bjo

Ernesto Dias Jr. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ernesto Dias Jr. disse...

Estou com a Udi e com a Lú. É um refresco ver uma pessoa de bem sentada nessa cadeira.

Anne M. Moor disse...

Não vamos desesperar Ernesto, Lú e Udi... Ainda tem muiiiiiiiiiiitas pessoas de bem e o que os do mal querem é que a gente desista de lutar... NUNNNNNNNNCA... Morreremos em pé com a cabeça erguida e gritando...

Flavio Ferrari disse...

Saia já daí ...
Isso pega, menina !

Ti disse...

Amanda,

Infelizmente este lugar não combina com você... Muito menos com seu belo sorriso!!

Walmir Lima disse...

Mas seria tão bom se estivesse cheio de 'Amanditas'!...