segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Mostre a língua para a crise

Recebi este texto de meu pai, via e-mail. Como ele não é lá de enviar qualquer coisa, senti que valia a pena ler. Uma interessante leitura do velho Einstein sobre a crise, mais uma vez provando que na vida quase tudo é relativo.


A crise segundo Einstein

"Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor bênção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar "superado".
Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais aos problemas do que às soluções. A verdadeira crise, é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a esperança de encontrar as saídas e soluções fáceis. Sem crise não há desafios, sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há mérito. É na crise que se aflora o melhor de cada um. Falar de crise é promovê-la, e calar-se sobre ela é exaltar o conformismo. Em vez disso, trabalhemos duro. Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la"

Albert Einstein

9 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Um conselho que valerá para sempre.
É ter na mente.

Anne M. Moor disse...

Bárbaro! Uma crise de incompetência... Que verdade!

Beijão Amanda

Ernesto Dias Jr. disse...

Graaaaaaande Albert...

Amanda Arthur disse...

Que bom encontrá-los de novo!
Gracias por las visitas!

Udi disse...

Yesss!
Amanda, querida, fica longos períodos sem postar mas quando o faz, arrasa!

...e tem aquela já velha conhecida história dos chineses que têm o mesmo ideograma para crise e oportunidade (claro que não se referiam a essa crise pela qual estão passando)

beijos

A.Tapadinhas disse...

Esta postagem foi um pontapé duplo na crise: na dita cuja crise e no interregno de posts. :)
Beijo.
António

Amanda Arthur disse...

Udi, querida! Procuro tardar, mas não falhar... È que ando meio nostálgica, com saudades dos velhos amigos... E tão sábios os chineses quanto o velho Eisntein. Crise é oportunidade, sempre.
Antonio, obrigadíssima pela visita. Uma honra tÊ-lo por aqui!

Polêmica disse...

É isso mesmo. Temos que trabalhar duro, afinal de contas, são nas dificuldades que as pessoas abrem o coração, se tornam receptivas à novas idéias, estratégias e exercitam sua mente. A pior crise é a que acontece dentro da gente.

Beijão!

Luisa Fernanda disse...

Quien no conoce lo que es la transformacion de la vida, el pensamiento y la materia, inventa las crisis, y ellas mismas sirven como una poética popular como la disruptura para la evolución

besos mi querida, manda fotos del bebezão (no se si asi se escribe, pero quiero ver fotos de tu hijo)