sábado, março 24, 2007

Mais do mesmo



Curioso como as pessoas têm rituais próprios de reflexão. Alguns chegam a grandes conclusões durante o sono, outros enquanto tomam banho, alguns fazendo piada, outros blogando. Somos diferentes.
Meu pai sempre defendeu a idéia de que os fumantes tenham liberdade de fazer aquelas pausas durante a jornada de trabalho para "exercitar" seu vício, ainda que num fumódromo. Médico e ex-fumante há cerca de 20 anos dizia e diz ele que é nestes breves momentos de prazer e relaxamento que as fichas caem, os clicks estalam e as soluções para pequenas e grandes questões do trabalho vêm à tona ou, no jargão dos gestores, que contribuições relevantes ao negócio nascem. Alguns dão uma volta, outros bebem café, outros fumam... Logo esclareço que não se trata de uma defesa explícita (nem dele, nem minha) ao tabagismo, mas sim de suporte a algo maior: liberdade.
Pegando carona no post anterior (o qual rendeu numerosos e apaixonados comentários, felizmente), quero dizer que, quase sempre, existem vários certos. O meu, o seu, o dos pais, o da organização, até o de um desafeto. A arte está em fazê-los coexistir em harmonia!

17 comentários:

Anne M. Moor disse...

Wowwwwwwww Amanda! Certamente... Os estalos, os faiscares aparecem aparentemente do nada em momentos diversos... Os meus geralmente aterrisam de madrugada :-)

Ti disse...

Amanda,

Acho que sou daquelas privilegiadas que tem os estalos dormindo... Muitas vezes acordo e, PLIM!!, problema resolvido...

Tenho sempre por perto um lapis e um papel para anotar as conclusões e voltar a dormir... tranquila!!

OBS: Ainda bem que temos você e a Anne.. Com nossos dois escritores fora, ficaríamos a deriva!!

Beijos

Ti disse...

Faltou apenas uma coisa... Quando a reflexão é profunda e preciso realmente recarregar as energias..

Nada melhor do que ficar horas olhando o Mar....

Udi disse...

Ti, bem lembrado! Contemplação, além de ser uma prática devocional (ao que quer que se acredite), também nos leva a muitos insights! tenho tantos nesses momentos (em contato com a natureza) que já pensei em comprar 1 daqueles gravadorezinhos de voz.

Amanda, mais uma vez nos levando à boa e saudável reflexão.

Ah! e acho que podemos acrescentar à sua lista de momentos reflexivos, a leitura de blogs de amigos queridos. (vide a quantidade de comentários que eu sempre faço)

beijo!

Flavio Ferrari disse...

Tenho estalos na coluna, quando me abaixo para pegar alguma coisa ... mas acho que isso é outro assunto.

Ernesto Dias Jr. disse...

Caramba... preciso elevar meu nível. Meus melhores insights acontecem no banheiro...

Ernesto Dias Jr. disse...

Quanto ao tema do post: logo eu, que abomino livros de auto-ajuda, lembrei de um de que gosto muito: Minhas Razões, Tuas Razões, do Paulo Gaudêncio. Bem na linha do que disseste, Amanda.

Amanda Arthur disse...

Pra completar... Meus estalos vêm normalmente durante uma boa ducha!
Ou dirigindo. Por isso não ligo o rádio do carro na cidade. Pra não dar curto com as faíscas.
Observação da autora:
Os comentários deste post tomaram a direção contrária do que imaginei. Que bom! Sinal de que, apesar da afinidade, não estamos previsíveis. Beijo!

Udi disse...

Flavio, os estalos na coluna são devidos à sua estadia sob a escada.

Ti disse...

Amanda,

Só para mantermos os nosso recados... Que rumo você havia imaginado?

Beijos

Amanda Arthur disse...

Ahco que sobre os diferentes certos... Ou sobre como é necessário ter momentos de relax para os clicks... etc, etc, etc...

Anne M. Moor disse...

Os cliques muitas vezes vem nas horas mais estressadas... no meio do turbilhão!!
E sobre os diferentes certos... Afinal, o que é certo? E, já que estamos nisso, o que é errado? Se é errando que se aprende então qual é o papel do certo, se é que existe o 'certo'?

Luisa Fernanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luisa Fernanda disse...

Querida,

Me encantó tu artículo, tienes toda la razón, no hay nada mejor que un momento de privacidad para que te caiga la "ficha".

Sea en el baño, sea fumando, sea casi adormeciendo...uno tiene que buscar esos momentos de soledad para cristalizar lo aprendido.

A veces nos acostumbramos a hacer esto en momentos de intimidad, donde nos descubrimos al descubierto, igual que todos.

Picantes y brillantes como tus pimientas de la foto...

Besos

Amanda Arthur disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Amanda Arthur disse...

Luisita,
Que honra tê-la por aqui...
Seja sempre bem-vinda!

Flavio Ferrari disse...

Sabe ... acho que é importante ter momentos de relax para os clics, etc, etc, etc ...