quarta-feira, maio 23, 2007

Quadrilha da saudade

O céu azul-cinza
A garoinha chora
Aos pensamentros rega
As sementes de outrora

12 comentários:

Anne M. Moor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anne M. Moor disse...

How cute! Adorei... a quadrilha e a tua volta!!! Estavas ausente e nós com saudades...

Lú. disse...

Que linda essa quadrinha "Quadrilha"!

Udi disse...

Que lindo! A maternidade despertando o seu lado poeta. Adorei.

Flavio Ferrari disse...

E quando ao sol despontam
verdes folhas dos brotos
seca o pranto, de encanto
por futuros marotos

Udi disse...

Flavio, com grande esforço, tenho contido a minha tietagem, mas com os teus poemas espalhados em toda a nossa aldeia blogal, é impossível manter a tiete quieta: a tua poesia tá contagiando!
Qual foi a fada que, com sua varinha de condão, despertou o poeta?

Luisa Fernanda disse...

Amandita, que nostalgia que embarga tu alma, que saudades de ti y de poder disfrutar esta etapa de tu vida estando cerca

Flavio Ferrari disse...

Udi: posso dizer, de verdade, que teu estímulo ajuda muito ...
Ainda que não seja suficiente para fazer de mim um poeta.
Poesia tem correr pelas veias.

Anne M. Moor disse...

E corre... Ou não?

Ernesto Dias Jr. disse...

Houvesse um prêmio pra poesia catita, tú e o Flavio teriam empatado no primeiro lugar.

Udi disse...

Amandita, saudades da tua lucidez.
beijo e beijo

Walmir Lima disse...

Amanda, Amandita! A "Quadrilha" tá com saudade. Não espere até ter "chorinho" novo, viu?